Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Antídoto Precisa-se.

 

 

Precisa-se urgentemente de antídoto para vizinhos invasores de espaços alheios, altamente irritativos e sob o efeito de estupefacientes.

 

Uma das coisas mais insuportáveis que existem são pessoas que não percebem onde termina a sua liberdade e começa a dos outros. É uma questão de limites e respeito.

 

Quando um gajo se encontra sozinho em casa – onde anda a sua gaja que desapareceu há já algum tempo? – durante um fim-de-semana prolongado e não tem nada para fazer, é claro que só pode dar asneira.

Ora vejamos: é sobejamente sabido que um gajo sem uma gaja anda sempre à deriva (não reclamem pois sabem que é verdade!). Como tal, só faz disparates. É o que se passa neste caso concreto.

 

Comecemos pelo princípio. Gajo que está sozinho e desocupado, ou não se dá por ele ou então dá-se até demais.

Acredito que para enxotar a solidão, o gajo em causa, vá buscar companhia aos “cigarrinhos do riso”, aos fuminhos.

Mas depois fazer figuras tristes…

 

Num dos dias do fim-de-semana, decidiu dar uma volta ao quarteirão para mudar de ares e refrescar as ideias.

Foi uma alegria vê-lo subir a rua a “desviar-se” de obstáculos imaginários (que é como quem diz aos ziguezagues) e a contemplar maravilhado o azul do céu. Só não sei se acertou com a porta do prédio. Não o ouvi entrar…

 

No dia seguinte é que foi pior. O entusiasmo da moka foi tanto, que colocou a música mais alta do que se estivéssemos na discoteca. Uma coisa completamente surreal. Meus ricos tímpanos, meu rico cérebro!

Para completar o cenário, começou a cantar (eu diria zurrar) para nos mostrar os seus dotes vocais que são perfeitamente dispensáveis.

 

Não sei onde vai buscar a “energia”. Para terem uma ideia eu poderia caracterizar o gajo comparando-o a uma folha de papel: branco e fino, que se sustém de pé devido ao vento que sopra contrário.

 

O material responsável pela moka deve ser daqueles mesmo bom. E nós a ter que gramar isto, sem alternativa… Já devemos ter um belo quinhão no céu!

 

Porque Me Apeteceu...

Às vezes, no silêncio da noite
Eu fico imaginando nós dois
Eu fico ali sonhando acordado, juntando
o antes, o agora e o depois

 

por que você me deixa tão solto?
por que você não cola em mim?
Tô me sentindo muito sozinho!

Não sou nem quero ser o seu dono
É que um carinho às vezes cai bem
Eu tenho meus segredos e planos secretos
só abro pra você mais ninguém
por que você me esquece e some?
e se eu me interessar por alguém?
e se ela, de repente, me ganha?

Quando a gente gosta
é claro que a gente cuida
fala que me ama
só que é da boca pra fora
ou você me engana
ou não está madura
onde está você agora?

Quando a gente gosta
é claro que a gente cuida
fala que me ama
só que é da boca pra fora
ou você me engana
ou não está madura
onde está você agora?